Perguntas sem resposta


Perguntei ao tempo:
Onde te procuro
Na luz,
No escuro,
De noite,
De dia,
Mas o tempo nada me dizia!
Perguntei ao vento:
Porque te escondes
Na alegria,
Na tristeza,
Na escuridão do teu sentimento
Revive o teu momento
Dá-me a certeza do meu comportamento
Do meu agir
Mas esse vento fez-me fingir
Que se eu te procurasse,
Talvez te encontrasse
Perdida num sonho real
Sem nenhum mal
Como um rio que corre com as suas águas
Tu assim deixaste feridas abertas,
Tristezas e mágoas…

4 comentários:

margarida 12 de maio de 2008 às 17:46  

okokok

nao sei qual o meu preferido
e dificil escolher....


muito dificil


va espero que nao te esqueças de colocar poemas novos


beijo

Kau 13 de agosto de 2008 às 06:05  

ando a vaguear por correntes que desconheço...
sinto o calor, o frio e o vento,
passei por aqui...estranhei tanto sofrimento e quis deixar uma marca!!
Marca essa que vai se apagar com o tempo mas que apenas servirá para,neste momento, te saudar por todos estes poema que me deram alento!!!!

beijo e Parabéns!!!:-)

Rodrigo Marques 13 de agosto de 2008 às 11:49  

Dos melhores....

Rodrigo Marques 13 de agosto de 2008 às 11:52  

Dos melhores....

Pesquisar neste blogue

Contador de visitas

Autor:

Rodrigo Marques
Vila Nova

www.inobdesign.pt.vu

Sobre o blog

Este é um blog, onde através de alguma inspiração e vontade de escrever, pretendo desabafar e desanuviar tudo o que me vai no consciente e na alma.

São tudo poemas e textos da minha autoria.

Enjoy the moment!